Gesso em retorno triunfal

Cada vez mais os arquitetos lançam mão do gesso em projetos arquitetônicos, principalmente devido à possibilidade que o material oferece na busca por formas mais leves e criativas.
O recurso, que passou uma temporada esquecido, volta com tudo e invade as casas de norte a sul do Brasil.
Para o arquiteto Aquiles Nicolas Kílaris a explicação para essa volta é muito simples: o gesso é versátil, tem um custo altamente acessível e pode ser usado em várias situações. “Ele é fácil de moldar e ótimo para a arquitetura interna. Podemos criar muitas coisas, já que sua plasticidade possibilita produzir formas e tudo o que a imaginação do profissional permitir.
A partir desse material criamos paredes, conhecidas como dry-wall, colunas, sancas, rodatetos, forros e divisórias. Bancadas, aparadores, nichos, arandelas e arcos também entram na lista de possibilidades de transformação do gesso. Ele também é usado para esconder vigas e tubulações aparentes”, afirma o arquiteto.
Kílaris não abre mão do material em seus projetos. Conhecido por seu estilo que valoriza as linhas curvas e as formas arredondadas, ele encontra no gesso o parceiro ideal para transformar em realidade suas criações.
O material também é um poderoso aliado para simular frisos na parede, inclusive em banheiros e lavabos.
Seu uso em projetos luminotécnicos valoriza os ambientes, pois os forros rebaixados permitem que sejam embutidos pontos de luz e realizado o efeito da luz indireta. “Em alguns casos, criamos clarabóias com vitrais, ou vidros jateados, e usamos iluminação artificial para que o teto ganhe maior destaque”, afirma Kílaris.
Em projetos neoclássicos, o gesso pode criar colunatas gregas e romanas, conferindo assim um ar de sofisticação às residências. Nessa linha, ele pode ser usado também em objetos ornamentais, como estátuas e esculturas, por exemplo. Nos quartos, o gesso pode compor a cabeceira das camas, proporcionando um ambiente aconchegante e acolhedor.
O gesso não é apenas bonito e econômico: as peças confeccionadas com esse material também apresentam bom isolamento térmico e acústico, além de manter equilibrada a umidade do ar em áreas fechadas (especialmente naqueles onde há sistemas de ar-condicionado), devido à sua facilidade em absorver água.
Ele pode ser encontrado na forma de pó, blocos ou placas. Mais recentes, as dry-wall, chapas de gesso acartonado (compostas basicamente por duas folhas de papelão recheadas de gesso) também são usadas como forros e permitem a construção de paredes divisórias.
Além da pintura, o gesso aceita outros acabamentos, como papel de parede, tecido, madeira, cerâmica ou laminado melamínico. Ao contrário do que se diz, as paredes revestidas por gesso ou feitas de bloquetes permitem até a colocação de quadros, desde que sejam obedecidas certas precauções, como uso de buchas e parafusos. Em sua versatilidade, o gesso pode substituir a massa fina das paredes, reduzindo assim esse custo na obra, mantendo um excelente acabamento.

Fonte: Jornal de Piracicaba