Jardim vertical é solução para pequenas áreas internas

Marcelo de Oliveira DA AGÊNCIA ANHANGÜERA

Modalidade, destinada a espaço sem condição de plantar no chão, usa design geométrico e trabalha a volumetria entre as peças

Os espaços internos residenciais e comerciais estão cada vez menores e o contato com a natureza mais distante. Porém, com técnicas existentes utilizadas pelos profissionais de paisagismo já é possível transformar locais sem vida em ambientes agradáveis e charmosos. O jardim vertical é destinado a áreas com pouco espaço e onde não é possível colocar terra para plantar no chão. Ele possui design geométrico e trabalha muito a volumetria entre as peças.
De acordo com a paisagista Iara Kílaris, que mantém escritórios em Campinas e Americana, o jardim vertical é um projeto interno ainda pouco conhecido pelas famílias, já que o hábito do brasileiro é montar jardins verticais, principalmente em casas, onde os espaços disponíveis são mais amplos. No entanto, ela afirma que montar a área verde não sai tão caro como a maioria das pessoas possa imaginar. “Uma parede vertical sai por R$ 500,00, em média, já com plantas e todos os complementos”, explica.
Para se obter os efeitos desejados, o ideal é que o jardim vertical seja implantado em local de destaque dentro do imóvel, pois é um jardim que, devido ao seu design diferenciado, valoriza muito o ambiente ao qual faz parte. Cada peça do painel é moldada, esculpida e cortada individual e manualmente, obedecendo à cada medida do projeto.
Iara explica que para este tipo de projeto paisagístico deve ser observado o local de sua implantação. Se for em locais como cozinha ou área de churrasqueira, o ideal é optar por ervas, que poderão ser utilizadas no dia-a-dia, mas que também enfeitam o ambiente. Em outros locais internos, como, por exemplo, corredores, janelas e salas, as plantas ornamentais como trepadeiras, bromélias, palmeira rósea, patas de elefantes, yucas, dracenas, fênix de sombra e cicas gigantes de sombras são mais recomendas, uma vez que são plantas de ambientes internos, embora exijam sol em pelo menos uma parte do dia. Os arquitetos e designers de interiores utilizam um recurso para proporcionar luz, ventilação e charme para as residências: o jardim de inverno, um espaço verde, de tamanho variado, em que o proprietário pode desfrutar a qualquer hora, sem precisar se preocupar com as condições climáticas.
A área não precisa ser grande. O importante é checar se o projeto de jardim de inverno não interfere em normas coletivas, para aproveitar o ambiente diferenciado. Os jardins podem ser tanto abertos na parte superior e fechados com vidro na parte interna, quanto cobertos e abertos para a residência. Em locais em que a impermeabilização não é possível, como as varandas, os vasos são uma opção para tornar verde o espaço. Outro pedido dos clientes são fontes ou quedas d’água, que pode receber um pequeno motor para reaproveitar a mesma água. De acordo com Iara, ornamentar ambientes internos não se resume apenas à instalação de painéis. Outro recurso, mais rápido e barato, pode ser a colocação de vasos nas paredes. “Esta prática vem aumentando, pois as plantas trazem a natureza para perto das pessoas e ajuda a combater o estresse do dia-a-dia”, garante a paisagista. “O ambiente ganha um pouco mais de vida e de harmonia” conta ela, lembrando que um jardim também pode ser construído em pequenos espaços, como o lavabo, banheiro e até mesmo embaixo de escadas.

Serviço: Iara Kílaris – Paisagista www.iarakílaris.com.br Telefone: (19) 3462.3674

Alguns cuidados precisam ser tomados, aponta paisagista
O jardim vertical deixa o ambiente interno das residências e escritórios com mais vida, harmonia e requinte. Porém, alguns cuidados devem ser tomados antes e depois de sua implantação, recomenda a paisagista Iara Kílaris. Algumas dicas podem evitar problemas com o estrago do piso.
Segundo ela, um dos problemas mais comuns que surgem com o jardim vertical está relacionado com o excesso de água que cai das plantas. Para evitar isso, o ideal é que a pessoa evite transbordar o vaso onde está plantada a flor.
“O recomendável é fazer um suporte para não manchar o piso”, alerta a paisagista. Outra coisa importante a ser levada em consideração na hora de montar o jardim é a escolha de plantas próprias para ambientes internos, para que elas não morram. Já quem está pensando em optar por placas e painéis nas paredes para colocar as plantas e os chamados quadros vivos — dispensando os quadros — o ideal é construir uma floreira no chão, embaixo do painel, com aplicação de xaxim e detalhes trabalhados na parede. (MO/AAN)

Flores de Inverno:

Amor-Perfeito
Azaléia e Azaléia Arbórea
Boca-de-leão
Buquê de Noiva
Calêndula
Camélia
Capuchinho
Chapéu-de-chinês (arbusto escandente)
Congea (trepadeira)
Flor de Maio (cactácea)
Flor de São João (trepadeira)
Flor de São Miguel (trepadeira)
Frésia
Jasmim-amarelo
Lágrima de Cristo de Flores Vermelhas
Lírio
Manacá da Serra Anão
Marianinha
Prímula
Rosas