Para aquecer no frio

Os meses mais frios do ano estão chegando e com eles, a preocupação de deixar a casa quentinha e aconchegante. Para resolver essa questão, os profissionais de arquitetura e decoração lançam mão de vários recursos tecnológicos para esquentar a casa nesse período.

Saunas, lareiras, aquecimento de piso e aquecimento de piscina são algumas soluções que funcionam perfeitamente. “Esses recursos são interessantes, pois é possível desativá-los no verão, sem nenhum prejuízo à estrutura da casa. Quando as temperaturas caem, basta acioná-los para ter mais conforto em casa”, afirma o arquiteto Aquiles Nícolas Kílaris.

Kílaris destaca ainda que, usar a tecnologia para manter a casa aquecida no inverno valoriza o imóvel, tanto para venda quanto para a locação. “O investimento para a colocação desses “truques” chega a 15% da obra e deve ser planejado quando o imóvel ainda estiver na planta, evitando assim desperdício de mão-de-obra e material na fase de execução”, recomenda Kílaris.

O arquiteto considera a sauna uma opção excelente para uma casa. Além de ser usada no verão e no inverno, ela ainda embeleza, incrementa a área de lazer e ajuda no tratamento de alguns problemas de saúde. As pessoas podem optar pela sauna a vapor, conhecida como banho turco, ou a sauna seca, com aquecimento do ambiente sem liberação de vapor. O interior das saunas secas é revestido de madeira e as cabinas de sauna são aquecidas com a lenha ou eletricidade.

A sauna seca é de origem finlandesa (2 milhões de saunas para 5,2 milhões de habitantes) e a prática de saunas é habitual na Escandinávia. A sauna úmida raramente ultrapassa os 60º C enquanto na sauna seca o corpo humano tolera facilmente temperaturas superiores a 80º C durante curtos períodos de tempo.

O aquecimento de piscinas também é recomendado por Kílaris. Com esse aquecimento, os moradores da casa podem usar a piscina mais vezes durante o ano. Existem várias técnicas para aquecer a piscina, desde aquecedores solares, aquecedores elétricos que fazem a troca de calor, até os aquecimentos a gás. “A escolha deve ser feita pelo profissional, que vai avaliar a melhor relação custo benefício para cada projeto e o clima da região”, afirma Kílaris.

É indiscutível o conforto que as lareiras proporcionam nos meses de frio. E o mercado oferece uma variedade de soluções para aqueles que optarem por esse tipo de recurso em casa. É possível construir as mais tradicionais, com chaminés e aquecidas a lenha, até as mais modernas e ecologicamente corretas, com aquecimento a gás e pedras vulcânicas. O toque final é dado no acabamento, que pode variar entre as pedras mais rústicas e o requinte do mármore.