Pomares urbanos conquistam espaço nos residenciais

SheilaVieira
DA AGÊNCIA ANHANGÜERA
sheila@rac.com.br
Já pensou em ter uma laranjeira em um apartamento? Uma jabuticabeira? Ou quem sabe um pé de acerola? Os pomares urbanos estão em alta e o número de pessoas que gostam de possuir árvores frutíferas nas sacadas dos apartamentos ou nos quintais de casa vem aumentando.

Muitas empresas da construção civil estão lançando empreendimentos com pomares como o condomínio vertical Cambuí Garden, e o loteamento em Sousas Parque das Araucárias, por exemplo.

Conforme Ana Rita Pires Stenico, gerente do departamento de flores da Centrais de Abastecimento de Campinas S.A. (Ceasa), a procura por mudas frutíferas aumentou 195% nos últimos cinco nos (2000 a 2005). Ela acredita que as plantas se destinam à formação de pomares em residências, chácaras, sítios ou fazendas, mas sempre visando o consumo próprio. “Avalio que este crescimento é decorrente da preocupação das pessoas em manter em casa frutas frescas ao longo do ano, para consumo, visando uma alimentação mais saudável”, diz a gerente de flores.

Uma grande variedade de espécies frutíferas são comercializadas na Ceasa, entre elas as populares jabuticaba, acerola, pitanga, goiaba, lichia, figo, romã, maracujá, manga e amora. Outras espécies frutíferas muito procuradas são castanha do Pará, noz macadâmia, graviola, cambuci, mangustão, jambolão, jambo, pêssego e nectarina.

A Ceasa registra uma oferta média de sete mil mudas frutíferas por mês, cujos preços são variáveis conforme a espécie e o porte das mudas oscilando entre R$ 5,00 a R$ 10,00 a muda de pequeno porte (0,50 m a 0,80 m de altura) e R$ 30,00 a R$ 50,00 para as mudas maiores, com 1,50 metro a dois metro de altura. Um solo bem areado, com boa estrutura, e com matéria orgânica é o recomendável. Também encontramos no comércio, em casas especializadas, adubos e fertilizantes para utilização no plantio e ao longo do desenvolvimento das mudas.

Ana Rita ensina que o ideal para o plantio é abrir covas bem maiores que o torrão da muda, pois ao retornar o solo na cova já com a muda, a terra irá apresentar uma área bem revolvida, facilitando a entrada da água e adubação, favorecendo também o transporte destas substâncias para as raízes da planta. É durante o plantio que se recomenda a utilização de produtos para correção do solo e algum complemento com matéria orgânica e nutrientes.

Opção ‘invade’ cozinhas e quintais de condomínios.

Não é só no chão de terra batida que os pomares ganham espaço. Moradores de luxuosos condomínios se rendem à facilidade e ao lado até lúdico de colher fruta no pé.

Iara Kilaris, designer de interiores e paisagista realizou projetos arrojados como a utilização de laranjeiras e romãzeiras em formato de bonsais, mas não como as tradicionais miniaturas orientais, mas inspirados nelas e com desenvolvimento em grandes vasos com boca quadrada de 40 X 40 centímetros, 50 X 50 e até 80 X 80 centímetros que comportam pequenas árvores medindo até um metro de altura.

Nos pomares urbanos de Iara há jabuticabeiras, lichia, romãzeiras e laranjinha kinkan ((kinkan em japonês significa “laranja de ouro”).Geralmente são preferidas as variedades mais rústicas devido à facilidade de manutenção. E não importa se a árvore já está formada. Há casos do plantio em vaso de uma jabuticabeira de três metros de altura, que Iara recomendou a rega diária durante três semanas e posteriormente, apenas aguá-la uma vez por semana. Sob seus galhos, bancos e poltronas dão um toque aconchegante e natural ao recanto.

Serviço

Ceasa/Campinas — telefone — (19) 3746-1005.
Iara Kilaris — (19) 3462-3674.

ir para o site www.iarakilaris.com.br