Escadas ganham novos formatos e acabamentos

Elemento decorativo pode ser projetado em leque, curva ou L, com jardim de Inverno em seu vão e projeto de luminotécnica
Sheila Vieira
DA AGÊNCIA ANHANGÜERA
Charmosas, imponentes e indispensáveis para garantir o acesso ao piso superior de uma construção com mais de um pavimento, as escadas ganham novos formatos e acabamentos na arquitetura contemporânea. No novo estilo arquitetônico, a escada é considerada um elemento-chave e deve ser projetada logo no início da obra, orienta o arquiteto Aquiles Nícolas Kílaris. “Mais do que um elemento de transposição, a escada é um elemento decorativo e pode ser projetada em leque, curva ou L”, descreve.
A escada é definida como um conjunto que engloba piso, estrutura, abertura de chegada, corrimão e guarda-corpo. Tudo isso precisa estar em harmonia e integrado aos espaços da casa, e quesitos de segurança e conforto. A posição da escada depende da utilização do andar superior, mas normalmente é projetada junto ao hall de entrada, porém também pode ser instalada a partir da sala de estar ou jantar.
Consideradas um passeio arquitetônico pela residência por permitirem observar amplamente o ambiente interno e o externo, as escadas estão deixando de ser enclausuradas para ocupar locais de destaque no projeto ao lado de grandes vãos de vidro que permitem vislumbrar o cenário exterior no momento da descida, o que ajuda a diminuir a sensação de esforço físico. Possuem pequenos jardins de Inverno em seus vãos e projeto de luminotécnica.
Outro recurso é que o ponto de chegada da escada termine em um mezanino com dois pés-direito altos evitando a sensação de confinamento. Também é preciso observar que no modelo leque, por exemplo, o centro deve medir cerca de 35 centímetros, comportando um pé com uma certa folga, somando a largura total em torno de 1,4 metro no mínimo para torná-la interessante assim como a concepção de todos os ambientes abertos e integrados. A altura ideal de cada degrau é de 18 centímetros. Segurança Existem opções de acabamento para todos os gostos e bolsos, mas sem descuidar dos itens de segurança.
O piso, por exemplo, não pode ser escorregadio e deve receber acabamento antiderrapante, filetes colocados no início do degrau evitam que ele se torne liso. As opções para piso são basicamente o mármore, o granito e a cerâmica, além da madeira, que serve de degrau em estruturas de ferro ou alvenaria. O granito, diz o arquiteto, representa a melhor relação de custo-benefício pela sua durabilidade.Os vãos do guarda-corpo não podem ser grandes e com a modernidade deixaram de ser fechados ganhando laterais abertas com a utilização de vidro temperado como material de acabamento.
A escada é erguida ou “encaixada” a partir de uma estrutura que pode ser em concreto armado, aço ou ferro. A vantagem do metal é que por ser um elemento leve possibilita a execução de desenhos arrojados como o “S” ou as curvas. “O uso do aço é uma tendência que ficou mais forte com o pós-modernismo na arquitetura. Os elementos se enlaçam em sua maleabilidade”, explica Kílaris. Escadas feitas em concreto têm como principal vantagem a durabilidade e, além disso, não necessitam de manutenção, apenas os cuidados com pintura e revestimento.
Já as estruturas metálicas necessitam de atenção, especialmente no que diz respeito à corrosão. Há ainda as escadas pré-moldadas, onde os degraus são encaixados, modalidade que é geralmente adotada em obras que precisam ser executadas com rapidez, explica o arquiteto. “Comprar uma escada pronta abrevia o tempo de execução e viabiliza alguns formatos, difíceis de conseguir no canteiro de obras. É recomendável testá-la no showroom, subindo e descendo para sentir sua firmeza”, aconselha.
No caso das escadas de metal é necessário observar o nivelamento, verificando se as hastes do corrimão estão paralelas ao eixo da escada.As espécies de madeira mais indicadas para a confecção de escadas pré-fabricadas — que pedem cortes mais retos e encaixes perfeitos —, são o jatobá e o ipê, além de outras que são duras, resistentes e mais escuras. Kílaris defende que a escada de madeira se encaixa melhor em projetos específicos como casas de praia ou campo. Uma concepção urbana precisa estar de acordo com o projeto arquitetônico.
Ele afirma que esse modelo exige manutenção freqüente e atenção à possibilidade de empenamento.Quanto às estruturas, a metálica tem sido a mais barata no mercado, dependendo da complexidade do projeto. Para o corrimão e o guarda-corpo, dispõem-se de opções em latão e aço inox escovado ou polido. “A escada é um elemento plástico, por si só é bonita”, comenta.Considerada como a parte que separa a ala íntima da social numa residência de dois ou mais pavimentos, a escada não precisa obedecer ao conjunto de regras no que diz respeito à localização.
fonte : Jornal Correio Popular